Pesquisa do Orelha de Livro revela o perfil do leitor brasileiro

Levantamento da rede social aponta que mulheres e homens têm hábitos diferentes.

Pesquisa do Orelha de Livro revela  o perfil do leitor brasileiro

O Orelha de Livro (www.orelhadelivro.com.br) fez um levantamento para traçar o perfil do leitor brasileiro. O estudo cruzou dados de tráfego da rede social com a pesquisa do Instituto Pró-Livro para revelar as principais características dos leitores em todo o país.

O projeto é uma rede social literária, criada pelo shopping virtual MuccaShop (www.muccashop.com.br), que conecta usuários com o objetivo de compartilhar o gosto pela leitura. São mais de 180 mil usuários cadastrados e que fazem do Orelha de Livro sua biblioteca pessoal, organizando os títulos em três categorias: já li, estou lendo e quero ler. Por meio do site também é possível comentar as obras, escrever resenhas, seguir e interagir com outros usuários.

De acordo com os dados analisados, as mulheres são as que mais se dedicam à leitura. Do total de 88,2 milhões de leitores brasileiros, elas representam uma parcela de 57% dos leitores, enquanto os homens são 43%.

Além de ser a maioria dos leitores, as mulheres também leem mais: são em média 4,2 livros, enquanto os homens leem cerca de 3,2 obras por ano. As preferências de gêneros literários também são diferentes: o mais procurado por elas é o de Aventura & Mistério, seguido por Romance, Ficção Científica & Fantasia e Crescimento Pessoal. Já os homens preferem em primeiro lugar Ficção Científica & Fantasia, seguido por Mistério & Aventura, Guerras e Ciência & Tecnologia.

Em complemento, o Orelha de Livro apurou as principais motivações do brasileiro ao comprar um livro. Segundo a pesquisa, 35% das pessoas o fazem pelo prazer de ler, 32% querem adquirir cultura e conhecimento, 29% procuram por entretenimento, 28% por exigência escolar, enquanto 11% por exigência do trabalho.

“As novas tecnologias não estão afastando as pessoas dos livros, mas agindo como um complemento para os leitores. O Orelha de Livro é um bom exemplo, pois por meio da rede social os usuários trocam informações sobre títulos, interagem entre si e fazem indicações para outras pessoas, disseminando o hábito da leitura”, afirma Luis Fertonani, um dos idealizadores da rede social.