Expectativas para safra de verão são atualizadas pela Emater

A soja no RS vai amadurecendo, com 15% da safra já colhida, 25% por colher e 54% em enchimento de grãos.

Expectativas para safra de verão são atualizadas pela Emater

A Emater divulga, todos os anos, duas estimativas de safra de verão: a estimativa inicial de safra, em agosto, e em março, a segunda estimativa, com os dados atualizados. Assim, nesta edição do Informativo Conjuntural, será reproduzida a Nota Técnica divulgada na terça-feira (12/03), durante a 20ª Expodireto-Cotrijal, em Não-Me-Toque, que se encerra nesta sexta-feira (15/03).

De acordo com o documento, a soja no RS vai amadurecendo, com 15% da safra já colhida, 25% por colher e 54% em enchimento de grãos. A área dessa safra é estimada em 5,8 milhões de hectares, sendo, dessa forma, a maior área já plantada em solo gaúcho na história.

O milho também segue em colheita no Estado, com 55% do total da área colhida, 19% maduros e 20% em enchimento de grãos. Os percentuais de 2% em desenvolvimento vegetativo e 4% em floração referem-se ao milho safrinha.

Chega a 75% a área de feijão primeira safra colhida no RS. As demais lavouras estão maduras e em enchimento de grãos. A safra está demonstrando uma projeção com incremento de 9,21% da produtividade em relação à safra anterior, para 1.766 kg/ha, representando aproximadas 70 mil toneladas no RS nesta safra.

A cultura de arroz chegou a 22% da área já colhida e 42% já estão maduros. Outros 25% da área estão com a cultura em enchimento de grãos e 4% em floração. A área total de arroz no Estado nesta safra é estimada em pouco mais de um milhão de hectares. Em média, no Estado, essas lavouras estão apresentando produtividade de 7.606 kg/ha, inferior à média da safra anterior em 3,22%.

“Em virtude do baixo percentual de área colhida até o momento e de eventuais ocorrências agrometeorológicas até o final da colheita, a Emater/RS-Ascar poderá fazer retificação dos números a qualquer momento, tanto na área quanto na produção e produtividade”, destaca o presidente da Instituição, Iberê de Mesquita Orsi.

Para o levantamento, os dados foram coletados na segunda quinzena de fevereiro (16 a 28/02), junto a 101 escritórios municipais para a cultura do arroz, 225 para feijão primeira safra, 152 para feijão segunda safra, 397 escritórios locais para milho grão, 366 para milho silagem e 351 para soja, além de 12 escritórios regionais e do Escritório Central. O levantamento contemplou uma amostra que cobriu 94,4% da área cultivada com arroz, 82,9% com feijão primeira safra, 94,0% com feijão segunda safra, 90,5% com milho grão, 90,8% para milho destinado à silagem e 93,3% para área com soja.