Quase concluída

Trata-se de um trecho de 2,3 quilômetros, que liga o entroncamento da rua São José até o seu final, quando se encontra com a avenida Pedro Schwertz, no Bairro Cruzeiro.

Um dos maiores projetos de infraestrutura de trânsito dos últimos anos está com 77% de suas obras executadas e com previsão de conclusão para o mês de junho.
Um dos maiores projetos de infraestrutura de trânsito dos últimos anos está com 77% de suas obras executadas e com previsão de conclusão para o mês de junho.

Um dos maiores projetos de infraestrutura de trânsito dos últimos anos está com 77% de suas obras executadas e com previsão de conclusão para o mês de junho. A segunda via da Avenida América, projeto de R$ 2,4 milhões, aos poucos é realidade.

Trata-se de um trecho de 2,3 quilômetros, que liga o entroncamento da rua São José até o seu final, quando se encontra com a avenida Pedro Schwertz, no Bairro Cruzeiro. A obra tem R$ 198 mil de contrapartidas do município e o restante oriundos do Ministério das Cidades. Atualmente o Governo Federal repassou R$ 800 mil, faltando ainda o depósito de R$ 1,4 milhão.

Iniciada no dia 05 de junho de 2018, já recebeu cobertura asfáltica em dois quilômetros no trecho entre as ruas São José e São Germano. Segundo informações do engenheiro Cristian Picolo, da Secretaria Municipal do Planejamento, o contrato com a empresa Enphase Pavimentações é de 12 meses, mas a expectativa é que a obra esteja concluída antes. Questionado se ocorreu algum imprevisto Picolo afirmou que foi tudo dentro do planejado.

Segundo o empresário Laureano Antonio Chitolina, da Enphase que executa a obra, esta deve ter sequência mesmo com o atraso no pagamento. “Se o recurso for pago em dia, a obra pode ser adiantada e concluída antes do prazo previsto”, garantiu.

Mas a América nova não trouxe só facilidades para o trânsito. Tornou-se mais uma opção de ligação entre o centro e o Bairro Cruzeiro. O secretário de Desenvolvimento de Planejamento e de Desenvolvimento Sustentável, Artur Lorentz, vai mais longe, afirmando que sua conclusão oferta áreas para que novos loteamentos sejam instalados. “Vai ocorrer uma mudança de hábitos da comunidade. Uma série de investimentos devem acontecer nestes novos espaços. O Loteamento Montese, por exemplo, terá sua segunda etapa de ampliação”, destacou. Outra estimativa positiva apresentada por Lorentz é de que com o crescimento populacional o entorno da via possa gerar novos empreendimentos.

Utilização está abaixo do esperado

O diretor de Trânsito, Carlos Augusto Lozekan, destacou que os motoristas não estão utilizando a Avenida América como era previsto no projeto. “A ideia era desafogar a Avenida Expedicionário Weber, o que não está acontecendo. Eu entendo que o pessoal, talvez por não querer sair da rotina, acaba pegando sempre o mesmo trajeto”. Com isso a Expedicionário acaba registrando engarrafamentos, principalmente nos horários de pico, quando as pessoas vão e voltam do trabalho.

Lozekan estima que com a conclusão da segunda via da América o hábito dos motoristas mude utilizando mais este caminho. “Alguns cidadãos ainda têm dúvidas sobre os trechos liberados e assim que concluído, principalmente os moradores dos dois pontos, acabarão optando pela nova opção”.

Sobre problemas de infraestrutura Lozekan diz que nada de muito grave foi registrado. “Não tiveram problemas na América, no início da utilização da primeira via. Alguns ajustes foram feitos, pois foram constatados alguns desníveis, mas o problema logo foi solucionado”. O diretor lembra que todo o trajeto está iluminado, o que gera também sensação de segurança.

Lozekan reitera que o índice de acidentes é baixo. “Tivemos casos isolados, mas o Radar Móvel está cadastrado e as fiscalizações são frequentes com intuito de identificar e punir algum excesso. Saliento que vale a pena utilizá-la. Ela é rápida, segura e a noite iluminada”.

Já o tenente Primaz, da Brigada Militar diz que as fiscalizações são diárias. “O Pelotão de Operações Especiais da Brigada Militar realiza acompanhamento e fiscalização no local. São feitas abordagens, verificação de placas e utilização do radar móvel”, explicou. Primaz ainda reiterou que por se tratar de uma via mais ampla os motoristas acabam acelerando um pouco mais, o que não pode acontecer, pois isso pode causar acidentes.