Placa Mercosul estendida até junho

A nova placa será obrigatória apenas nos casos de primeiro emplacamento. Para quem tiver a placa antiga, no caso da troca de município ou propriedade, também terá que implantá-la.

A alteração ocorreu em razão da falta de integração entre o sistema de alguns órgãos executivos de trânsito com o sistema nacional.
A alteração ocorreu em razão da falta de integração entre o sistema de alguns órgãos executivos de trânsito com o sistema nacional.

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) estendeu até junho próximo o prazo para implantação do novo modelo de placas do Mercosul. A medida consta de publicação no Diário Oficial da União do último dia 28.

Pelo cronograma anterior, o prazo para o Rio Grande do Sul era até 17 de dezembro de 2018. É a quarta vez que o Brasil adia o cronograma de implantação das placas, que já são utilizadas na Argentina e no Uruguai. A alteração ocorreu em razão da falta de integração entre o sistema de alguns órgãos executivos de trânsito com o sistema nacional.

A nova placa será obrigatória apenas nos casos de primeiro emplacamento. Para quem tiver a placa antiga, no caso da troca de município ou propriedade, também terá que implantá-la.