DAER conserta ponte com amarras e escoras de galhos

Pelo local transitam diariamente ônibus, veículos leves, caminhões e carretas carregadas com grãos de milho, trigo e soja.

DAER conserta ponte com amarras e escoras de galhos

Na semana passada, moradores da Vila Auxiliadora 2 reclamaram das péssimas condições da ponte de madeira na ERS-162, estrada de chão que dá acesso ao loteamento e também conhecida com ‘saída velha para Guarani das Missões’.

Pelo local transitam diariamente ônibus, veículos leves, caminhões e carretas carregadas com grãos de milho, trigo e soja. Nossa reportagem, ao chegar no local, constatou que várias tábuas estavam se soltando e a grade de metal que serve como proteção na lateral direita estava solta e caída sobre algumas toras de sustentação da ponte. Próximo à cabeceira, havia uma abertura pela qual algum usuário poderia sofrer uma queda e ter ferimentos graves devido à altura.

Naquela semana nossa reportagem esteve na sede do DAER com o propósito de entrevistar o superintendente da autarquia em Santa Rosa, Jader Barbosa Rodrigues. Foram três tentativas, sem sucesso. Em uma breve conversa, na última quinta-feira, 05, e não desejando gravar entrevista, ele apenas se limitou a dizer que uma equipe estava no local efetuando o conserto da ponte. No sábado, 07, a reportagem foi procurada novamente por usuários relatando que o “conserto” fora feito de forma inadequada.

Na última terça-feira, 10, nossa reportagem, novamente atendendo solicitação da comunidade local, foi até a ponte e constatou o péssimo serviço realizado pelo DAER. A grade de proteção da ponte, que estava danificada em uma das cabeceiras, foi amarrada com um pedaço de fio elétrico e apoiada em uma forquilha feita com um galho de árvore. Na outra cabeceira, a grade foi amarrada com uma corda presa a um arbusto e também apoiada em uma forquilha. A placa de sinalização, que antes estava em meio ao mato, estava visível, porém, as árvores cortadas foram deixadas jogadas junto ao acostamento e galhos maiores estava no leito do Lajeado Paulino.

Em caso de chuva forte, os galhos, em algum ponto, poderão impedir a passagem da água e causar transtornos. A comunidade da Vila Auxiliadora 2, e também os motoristas de veículos pesados cobram uma ação mais eficaz e responsável do DAER na tão questionada ponte.