Cidade recebe câmeras inteligentes

O objetivo é monitorar carros com placas clonadas, adulteradas, veículos cadastrados como suspeitos e até mesmo de pessoas que estejam em processo de investigação da Polícia serão acompanhados.

O funcionamento está previsto já para o mês de fevereiro
O funcionamento está previsto já para o mês de fevereiro

A empresa Shelter está instalando as câmeras de viodomonitoramento em 16 pontos de acesso a cidade de Santa Rosa. Falta agora a RGE ligar os postes a rede elétrica e ser instalada a fibra óptica para que os equipamentos estejam interligados ao sistema de segurança da Brigada Militar. Com um tecnologia capaz de realizar uma leitura inteligente do veículo, e ao constatar qualquer irregularidade, por menor que seja, aciona automaticamente o sistema integrado, os policiais militares acompanharão e acionarão o patrulhamento de rua. Com isso, se desloca a viatura que está mais próxima do local e aborda o carro suspeito, evitando assim que ocorram crimes.

O coordenador de suporte técnico da empresa, que instalará e dará manutenção para as câmeras, Maycon Schawuinsky, diz que serão utilizados os recursos de OCR (Optical Character Recongnition) para o reconhecimento automático de caracteres. “Além de identificar as placas de veículos, elas serão armazenadas em um banco de dados para pesquisas imediatas ou futuras. As imagens gerarão sistemas de alertas automáticos, quando detectadas irregularidades”, explicou.

Após estar em funcionamento, o que está previsto já para o mês de fevereiro, carros com placas clonadas, adulteradas, veículos cadastrados como suspeitos e até mesmo de pessoas que estejam em processo de investigação da Polícia serão acompanhados. “Toda vez que o veículo passar por este local, a atividade será registrada. Por exemplo, se o IPVA estiver vencido, o sistema emitirá um alerta automático, e a Brigada saberá que o carro está irregular”, comentou. Sobre o processo de instalação das câmeras, Maycon estima que até o final de fevereiro todas estarão prontas para uso. “Os pontes estão todos colocados, agora falta integrar as câmeras ao sistema e estará pronto”, disse.

O projeto é resultado de uma ação voluntária, encabeçada pelo Ministério Público Estadual, pelo Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública (CONSEPRO) e da Associação Comercial Industrial, Serviços e Agropecuária de Santa Rosa-ACISAP. Com um investimento inicial de R$ 216 mil, Santa Rosa passa a ser a primeira cidade do RS 100% vigiada. Para que isso fosse realidade, empresas de Santa Rosa contribuíram com R$ 135 mil. Conforme o presidente da ACISAP, Odaylson Eder, a segurança pública é um grande fator de desenvolvimento regional, e contribuir com ela, garante segurança para que os empreendedores possam investir em suas empresas e gerar emprego e renda. “Garantindo uma cidade segura, fizemos com que os empresários se sintam motivados a empreender, e garantam também a segurança de seus clientes. É garantir segurança para alcançar o desenvolvimento”, comemorou. Odaylson, junto com o CONSEPRO buscou os investidores do projeto, e comemora: “O dinheiro foi conquistado, já está na conta e o projeto está em pleno andamento”.

A FENASOJA 2020 é uma das empresas apoiadoras da ação, aportando recursos para que o projeto saísse do papel. O presidente da Feira, Elias Dallalba, destaca que a Comissão Central, juntamente com o Conselho Consultivo Permanente entendeu de extrema importância a participação no projeto. “A FENASOJA trabalha em prol do desenvolvimento da nossa região, e também entendemos que a segurança é fator fundamental para que a comunidade se desenvolva”, afirmou. Elias encerrou dizendo que garantir segurança é garantir qualidade de vida para todos. “Somos uma feira de voluntários, uma feira da comunidade, e estamos presentes nas ações positivas, como a do Cercamento Eletrônico”, enfatizou.