Audiência Pública discute o tráfego de caminhões no centro da cidade

Duas questões foram pautadas, a situação do asfalto e o fluxo do trânsito.

Audiência Pública discute o tráfego de caminhões no centro da cidade

A Câmara de Vereadores de Santa Rosa realizou Audiência Pública para discutir o trafego de veículos pesados nas ruas e avenidas da cidade de Santa Rosa. Outra proposta era definir os horários para carga e descarga no perímetro urbano e uma rota para o trânsito de caminhões.

A audiência foi presidida pela vereadora Sônia Conti-PCdoB. Além da parlamentar, também compuseram a mesa, o Presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística de Santa Rosa (Sintralog), Elemar Claudio Walker, o Oficial da Brigada Militar 1º Tenente Primaz que também compõe o Conselho Municipal de Trânsito, o Secretário de Mobilidade Urbana, Carlos Losekan, a Vereadora Márcia Carvalho (PT) e o Vereador Máximo Altemir Martins (Timirinho) (PP). 

Após muita discussões e colocações, os empresários defenderam que os caminhões são projetados para transportar um limite máximo de toneladas e que o excesso até pode ocorrer, mas, comprometeria a estrutura do veículo, e dificilmente a malha asfáltica. Nesse caso se a cidade não possui uma pavimentação ideal não é justo responsabilizar os veículos de carga.

No que se refere ao horário para o trafego de veículos pesados na área central da cidade, o Secretário Carlos Losekan em comunhão com o Conselho Municipal de Trânsito estipulou os seguintes horários para a proibição do trânsito de caminhões: das 07h ás 08h, 11h30min ás 13h30min e das 17h30min ás 18h30min.

A proposta será analisada e discutida pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística de Santa Rosa (Sintralog), que poderá aceitar ou realizar alguma alteração nos respectivos horários. Durante a Audiência Pública também ocorreram outras sugestões que serão analisadas no mês de Março de 2019, no entanto, um dos empresários solicitou a Comissão de Fiscalização Obras e Serviços Públicos da Câmara de Vereadores que crie uma força tarefa para fiscalizar as obras da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) que estão sendo realizadas em bairros e vilas da cidade. Essa demanda não fazia parte da pauta, entretanto, foi acatada pela presidente Sônia Conti.