Santa Rosa registrou 15 mortes por câncer de traqueia, brônquios e pulmão

O número foi apresentado na quinta-feira, 31 de maio, data que é marcada pelo combate mundial ao tabagismo.

Santa Rosa registrou 15 mortes por câncer de traqueia, brônquios e pulmão

Em Santa Rosa, segundo dados da Vigilância Epidemiológica da Fumssar, em 2017 foram registrados 112 casos de óbito por câncer, sendo 15 por neoplasia maligna de traqueia, brônquios e pulmão, doenças onde o tabagismo é considerado um fator de risco. O número foi apresentado na quinta-feira, 31 de maio, data que é marcada pelo combate mundial ao tabagismo.
Segundo a diretora da Atenção Primária à Saúde da FUMSSAR, Alice Klein Hofferber, o combate e prevenção ao tabagismo é oferecido no SUS. Em Santa Rosa está instituída a Política Municipal de Combate ao Tabagismo (PMCT). Os tratamentos são ofertados através das Unidades de Saúde e do Centro de Atendimento Psicossocial Álcool e Drogas - CAPS AD, e é realizado por equipes multidisciplinares.
Em 2017, foram realizados 26 grupos de combate ao tabagismo com um total de 218 participantes, destes 63 reduziram o uso de tabaco e 72 pararam de usar. Resultado muito satisfatório, uma vez que se trata de uma dependência crônica que causa doença e que altera o sistema nervoso central do usuário, modifica seu estado emocional, comportamental e físico, conforme ressaltam os coordenadores da PMCT, Marcia Quinsani e Carlos Mantei.
O presidente da Fundação Municipal da Saúde, Anderson Mantei, destaca que nos últimos anos são desenvolvidas ações educativas de comunicação e atenção à saúde, associadas à medidas legislativas e econômicas, o que, juntamente com a promoção e prevenção local desenvolvida pelos profissionais de saúde, traz respostas positivas à saúde pública.
O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde a principal causa de morte evitável no mundo. Estima-se que dois bilhões de pessoas sejam fumantes, 47% do sexo masculino e 12 % do sexo feminino (INCA - 2018).
No Brasil o tabagismo é responsável por cerca de 200 mil mortes no ano. Os cânceres de pulmão e laringe são os que mais matam. O tabagismo passivo é responsável por pelo menos sete mortes diárias. O Brasil tem prejuízo anual de R$ 56,9 bilhões com o tabagismo. Desse total, R$ 39,4 bilhões são gastos com despesas médicas e R$ 17,5 bilhões com custos indiretos ligados à perda de produtividade, causada por incapacitação de trabalhadores ou morte prematura. (INCA2018).