Grafia médica atrapalha farmacêuticos e pacientes

Médicos da rede pública estão sendo orientados, inclusive, a emitir receitas via computador.

Grafia médica atrapalha farmacêuticos e pacientes

Um dos agravantes nas longas esperas e contratempos que o usuário enfrenta na Farmácia Municipal, coordenada pela Fundação Municipal de Saúde, são as receitas médicas em muitos casos inelegíveis. E são inelegíveis a tal ponto que, antes, o paciente tinha que voltar ao médico (privado e da área pública) para esclarecer nome ou/e dosagem do medicamento. Um programa de melhorias na farmácia envolveu uma ampla conversa com os médicos, no sentido de tentar melhorar a escrita. “Isso facilita a interpretação e análise das receitas”, explica Ademir Rosa, diretor de Gestão e Estratégica, coordenador do programa recentemente instalado.

A farmacêutica Luciana Legg, coordenadora da Farmácia Popular, conta uma situação que gera descontentamento por parte do usuário. “O atendente recebe a receita e tem dificuldade de interpretá-la, depois de alguns minutos de tentativa. Vai até um colega para pedir apoio, mas tem que aguardar porque o colaborador está fazendo outra coisa. E tem casos onde mais de um é consultado. E, depois de um bom tempo, se resolvido, ótimo, mas há casos em que o usuário é orientado a retornar ao médico”.

Médicos da rede pública estão sendo orientados, inclusive, a emitir receitas via computador. “Para evitar perda maior de tempo, nós mesmos ligamos para o médico para apurarmos o nome do medicamento ou a dosagem”, acrescenta Luciana.