Ampliação vira caso de urgência

Hospital já está mandando pacientes embora, por falta de leitos. Na UTI, falta de espaços também é um problema permanente.

A nova unidade prevê 10 pavimentos que concentrarão laboratório clínico e diagnósticos como bloco cirúrgico, UTI adulto, unidade de internações e um heliporto, além de novos leitos.
A nova unidade prevê 10 pavimentos que concentrarão laboratório clínico e diagnósticos como bloco cirúrgico, UTI adulto, unidade de internações e um heliporto, além de novos leitos.

O esgotamento da capacidade de internações do Hospital Vida & Saúde foi um tema que gerou debates na sessão ordinária de segunda-feira, 15, na Câmara de Vereadores. A motivação partiu de uma informação verbal repassada por Vanderli de Barros aos vereadores. A diretora geral da instituição disse que no último final de semana 582 pacientes foram atendidos na UPA, um recorde para o setor.

O vereador Osório Antunes dos Santos (PDT), presidente da Comissão de Saúde, anunciou a articulação de uma emenda da bancada gaúcha no valor de R$ 15 milhões para permitir a conclusão das obras da nova unidade. “Tem pacientes sendo tratados em macas, uma realidade que parecia distante de nós”, destacou.

Em busca de números oficiais, nossa reportagem contatou a Assessoria de Comunicação. Os números para a atual estrutura do Vida & Saúde não são nada animadores. Unidades que no ano passado mantinham uma média de ocupação entre 85% e 90%, no mesmo período de 2019 chegaram à capacidade máxima. Na prática, isso significa que pacientes com casos menos graves são orientados a se tratar em casa. Não tem leitos.

Junho e julho deste ano são meses que refletem a urgência da conclusão da nova unidade. As UTIs adulto e infantil, as unidades de internações 01, 03 e 05 e a pediatria apresentaram 100% de ocupação. A maternidade é o único setor que apresenta média ocupacional de 90%. Isso ocorre porque as mães recebem alta cerca de dois dias após os partos.

A UPA, que sempre foi a área mais delicada do Vida & Saúde, ganhou contornos quase dramáticos nas últimas semanas. A média entre sexta-feira e domingo é de 320 atendimentos. O último final de semana registrou quase 600 pacientes, 258 a mais do que o normal. “Em vários casos os atendimentos viram internações”, observa Vanderli de Barros. Nos últimos cinco anos as cirurgias praticamente dobraram. “Também são casos de internações”, acrescenta. 

Se a nova unidade estivesse pronta hoje, o Hospital Vida & Saúde saltaria dos atuais 155 leitos para 265. Vanderli de Barros explica por que o Hospital Vida & Saúde vem agravando a falta de leitos: “Existem várias especialidades médicas que são referências regionais, o que coloca o hospital à disposição de uma demanda não inferior a 250 mil pessoas. Sem falar na Neurocirurgia, referenciada para 1 milhão de habitantes”.