JUNHO: Caso dos Cemitérios vem à tona

Trouxe à tona um complexo suposto esquema de comercialização de espaços nos cemitérios públicos de Santa Rosa

Na semana seguinte a Câmara de Vereadores votaria um projeto de autoria de Schmidt, propondo a extinção temporária da cobrança anual de conservação dos jazigos.
Na semana seguinte a Câmara de Vereadores votaria um projeto de autoria de Schmidt, propondo a extinção temporária da cobrança anual de conservação dos jazigos.

Saldos da paralisação

Após 10 dias de protestos dos caminhoneiros as duas concentrações de veículos, uma em Guia Lopes e outra no Posto Fenasoja, eram dissolvidas. Neste período instituições de ensino suspenderam aulas, faltou combustível em postos, os supermercados sentiram o desabasteci-mento de produtos, além da suspensão de diversos serviços que dependiam de transporte ou de veículos.

A suinocultura foi uma das áreas mais afetadas. O Alibem interrompeu abates em Santa Rosa, teve dificuldades para levar a ração até sua granjas de suínos, produtores tiveram prejuízos e o frigorífico deixou de atender alguns contratos. Segundo Jucelino Gonçalves, superintendente do Alibem, a projeção é de que seriam necessários dois meses para a normalização do setor.  A AGCO do Brasil parou sua fábrica por falta de peças e componentes.

Surgiu até um grupo de manifestantes que, em frente ao portão principal do 19º RCMec, gritava palavras de ordem como “intervenção já!”

Após seu ápice, o movimento perdeu força e se esvaziou no dia 30 de junho.

Acisap defende 3º eixo

Na semana de 29 de junho a Associação Comercial, Industrial, Serviços e Agropecuária de Santa Rosa – ACISAP, manifestava que passaria a defender a geração de energia como o terceiro eixo de desenvolvimento para a região.

Segundo o presidente Odaylson Eder esta parte do Estado possui duas potencialidades no setor: a eólica e a hidrelétrica. “Na primeira, segundo técnicos, temos Giruá entre as melhores rotas de ventos. E na hidrelétrica temos o rio Uruguai. Ambas com condições de gerar energia”, defendeu ele.

Moacir Locateli, industrial é uma das lideranças no segmento, “cada vez mais o país e o mundo sentem a necessidade da própria população produzir a sua energia, e isso impulsionará a economia local, principalmente no desenvolvimento de tecnologias”, afirmava Locateli.

Camera retoma produção de Biodiesel em Ijuí

A Camera Agroalimentos S.A. anunciava que retomaria a operação da usina de biocombustíveis de Ijuí no dia 28 de junho. Segundo Vanoli Kist, presidente da companhia, foi o resultado de uma reestruturação somado a um investimento de R$ 1,5 milhão para adequar a fábrica às exigências da Agência Nacional de Petróleo – ANP.

“Sentimos que era o momento de voltar a este mercado, do qual fomos pioneiros na região quando instalamos o complexo em Ijuí. Esta decisão se deu em função do aumento da mistura obrigatória de biocombustíveis ao diesel, que em março passou de 8% para 10%”, falou Vanoli.

A unidade tem capacidade para produzir 650 mil litros por dia, gerando cerca de 40 vagas de trabalho.

Caso dos Cemitérios vem à tona

Um homem tinha sua mãe e seu irmão sepultados numa carneira no Cemitério Municipal de Santa Rosa. Por falta de condições, fez um túmulo simples. Depois de ter permanecido dois anos trabalhando em Novo Hamburgo, retornou à cidade e foi visitar seus entes falecidos. Deparou-se com uma carneira de granito. A ver aquilo chamou o responsável e perguntou onde estavam os corpos de seus parentes. O servidor argumentou que talvez ele tivesse se confundido e perguntou: “não será o terreno da frente?” O dito espaço foi aberto e lá estava sepultado o corpo de uma criança. O servidor então propôs: “eu te garanto outra carneira dupla”. Impressionado o homem questionou: “você me dá uma carneira nova para eu sepultar quem? Quero saber onde estão os corpos de minha mãe e meu irmão.”  A denúncia foi levantada pelo vereador Cláudio Schmidt (MDB) e virou caso de polícia, trazendo à tona um complexo suposto esquema de comercialização de espaços nos cemitérios públicos de Santa Rosa.

Tanto o prefeito Alcides Vicini, quanto o secretário de Obras, Rodrigo Bürkle, se mostraram perplexos e começaram a agir para esclarecer os fatos. Na semana seguinte a Câmara de Vereadores votaria um projeto de autoria de Schmidt, propondo a extinção temporária da cobrança anual de conservação dos jazigos.

Boato de morte por meningite causa pânico, mas é desmentido: A morte de uma criança de nove meses no dia 29 de maio, vítima de meningite, desencadeou uma série de acontecimentos. Segundo o pai da menina ela teve seu primeiro atendimento às 17h de segunda-feira, 28 de maio, na UPA, devido a uma febre alta. Medicada, foi para casa. Nas primeiras horas do dia seguinte a família voltou ao Hospital Vida & Saúde, sendo a bebê internada por volta das 10h. Às 17h ela faleceu. O relato feito em uma rede social provocou a publicação de uma nota do Hospital que dizia que todos os protocolos de segurança do paciente foram realizados.

Dias depois um áudio de voz feminina passou a circular, criando pânico na população, afirmando que haveria um surto de meningite na cidade. O boato fez com que o corpo clínico do Vida & Saúde convocasse uma entrevista coletiva para esclarecer a população sobre a morte desta menina e de um outro menino de cinco meses. Coube ao diretor clínico do Hospital, o médico Fernando Bergmann, tranquilizar a todos. “São informações inverídicas. As duas mortes não têm relação nenhuma. O menino morreu por afogamento – aspirou leite que foi depositado nos pulmões. A menina por meningite. Atendemos 1,5 mil crianças por mês e, infelizmente, ocorrem óbitos. Porém, isso não pode motivar propagação de informações nas redes por pessoas que não têm qualquer conhecimento médico”. E acrescentou: “quanto a menina, trata-se de um caso que saiu da curva normal, porque a paciente voltou no dia seguinte já em estado crítico. Há situações em que a doença é mais forte que a medicina”.

A Fundação Municipal de Saúde chegou a registrar o caso na polícia, que começou a rastrear as mensagens. Identificada, na semana seguinte a autora do áudio foi até a UPA para se desculpar de toda a confusão que provocou. Conheceu toda a estrutura física e de profissionais e se retratou. “Com isso eu aprendi que não se deve repassar informações sem a certeza do que está ocorrendo”, disse.

Fenasoja lucra R$ 829 mil

Em um café da manhã à imprensa, o presidente da 22ª Fenasoja, Alexandre Maronez, anunciava um lucro de R$ 829 mil do evento.

“Mudamos nossa forma de captar recursos e conseguimos fazer uma Feira atraente e cheia de novidades”, argumentava. Este resultado, somado ao da 21ª, deixa um caixa de R$ 1,1 milhão para a sequência do trabalho. A reunião aconteceu no dia 18 de junho, no Parque de Exposições.

Ministro anuncia R$ 7,5 milhões ao Vida & Saúde

Na tarde de quinta-feira, 28 de junho, em solenidade no Palácio Piratini em Porto Alegre, o ministro da Saúde Gilberto Occhi anunciava a destinação de R$ 7,5 milhões para o Hospital Vida & Saúde. A expectativa da entidade era receber R$ 3,5 milhões, que era parte de um projeto encaminhado em 2012, pelo então presidente da instituição Anderson Mantei.

O acréscimo de valor surpreendeu o atual presidente, Rubens Zamberlan: “isso será fundamental para darmos continuidade na obra da nova unidade. Este dinheiro é para aquisição de equipamentos”, concluiu.

A ACISAP manifestava que passaria a defender a geração de energia como o terceiro eixo de desenvolvimento para a região.