Escolaridade é contestada em cargo do previrosa

Ação tramita na Justiça.

Escolaridade é contestada em cargo do previrosa

Tramita na 2ª Vara Cível de Santa Rosa uma ação contra a nomeação de Maurílio Gonçalvez Marques como representante dos aposentados e pensionistas do Previrosa. Segundo a contestação, movida pelo 1º suplente Pedro Pascoalino Zagueti, a escolaridade de Marques não foi comprovada para o cargo. Conforme informações recebidas pelo Jornal Noroeste, o citado apresentou apenas um atestado de escolaridade, faltando o histórico escolar. “ Solicitamos o histórico escolar, mas até agora não foi apresentado para justificar sua função”, denunciou a fonte.
O presidente do Previrosa, Salatiel Oliveira Santos destacou que a justiça negou uma liminar solicitada pela defesa de Zagueti,, e por isso Maurílio continua na função. “O Previrosa exige que no ato de nomeação, o escolhido para o cargo apresente comprovação de escolaridade e foi o que ele fez, através de atestado”,