Segundo dia do julgamento do Caso Bernardo

O júri ocorre em Três Passos.

Segundo dia do julgamento do Caso Bernardo

Será retomado às 9h dessa terça-feira, 12, o julgamento do caso Bernardo Uglione Boldrini. O julgamento é dos indicados pela morte do menino, o pai Leandro Boldrini, a madrasta Graciele Ugulini, Edelvânia e o irmão Evandro Wirganovicz.

Ontem, 11, foi ouvida a delegada Caroline Bamberg Machado. Ela era a delega de Três Passos e que coordenou toda a investigação do caso. Também foi ouvida a delegada regional de Três Passos, Cristiane de Moura e Silva Braucks, que falou por cerca de três horas.

Os próximos depoimentos é de Juçara Petry - vizinha da família Boldrini, que costumava abrigar o menino em casa e a ex-secretária do consultório médico, Andressa Wagner. Ao todo tem cinco testemunhas. Na sequência, serão ouvidas as testemunhas de defesa apenas de Leandro (dez testemunhas). Graciele teria quatro testemunhas, mas acabou desistindo das mesmas, ontem.

O tempo de fala das testemunhas impactará na duração do julgamento, que pode se estender por uma semana. Somente depois de todas as testemunhas serem ouvidas é que os quatro réus poderão falar. A última etapa do julgamento são os debates, que podem se prologar por até nove horas.

Relembre o caso: 

No dia 4 de abril de 2014, Bernardo Uglione Boldrini desapareceu de casa. O menino reclamava da falta de atenção e, por isso, era acolhido na casa de vizinhos e coleguinhas de escola. O corpo foi encontrado dez dias após o sumiço, enterrado em uma cova rasa, no interior de Frederico Westphalen, cerca de 80km de Três Passos.