Entramos no décimo dia na busca por assaltantes

Polícia trabalha com a hipótese que mais dois estejam na mata.

Entramos no décimo dia na busca por assaltantes

Com saldo de quatro assaltantes presos e um morto, o cerco em Linha 1º de Março, entre os municípios de Porto Lucena e Campina das Missões entra hoje no décimo dia. Cerca de 150 policiais trabalham 24h/dia, de forma incansável, fechando cercando o local, e evitando que eles fujam. A porta-voz da operação, Major Vanessa Peripolli, destaca que a polícia acredita que mais dois indivíduos estejam escondidos no mato, que contempla 24 hectares. “Durante o dia são realizadas patrulhas e a noite apenas se mantém o cerco”, afirmou. O assalto aconteceu na quarta-feira, 24 de abril, no Banco do Brasil de Porto Xavier.

O policial Fabiano Lunkes, 34 anos, foi morto em confronto com os assaltantes, na madrugada da quinta-feira, 25, quando os mesmos abandonaram o carro onde estavam e fugiram para o mato. Depois disso se intensificou as buscas pelos assaltantes.

A primeira prisão aconteceu às 17h30min, do sábado, quando um homem de 53 anos, foi preso ao tentar comprar mantimentos, isso na Praça de Porto Lucena. Conforme a polícia, ele teria escapado do mato, e pegado um ônibus e se dirigido até cidade. Minutos mais tarde dois homens, entre eles um policial militar aposentado, foram presos em uma propriedade, no interior de Porto Xavier. Conforme as investigações, a suspeita é que ele usou o local para planejar o crime.

As 11h, do domingo, 28, após confronto com policiais, Izaqueiel Gonçalvez de Souza, 32 anos foi morto a tiros. Ele foi abordado ao tentar buscar alimento em uma lavoura, próxima ao cerco. Já na noite de segunda-feira, 29, um jovem de 24 anos, após sua advogada negociar sua rendição, acabou se entregando à polícia.