Postos de combustíveis e os preços praticados

São diversas as variáveis que podem influenciar no preço, entre elas: o custo do insumo, os impostos, os salários dos frentistas, o frete, energia elétrica, água, os serviços que os postos de combustíveis oferecem além do abastecimento

Além de preço de venda, os clientes precisam estar atentos às estratégias que são utilizadas pelas empresas para conquistar o mercado
Além de preço de venda, os clientes precisam estar atentos às estratégias que são utilizadas pelas empresas para conquistar o mercado

Jair Fagundes, doutor em contabilidade, aceitou o convite do Jornal Noroeste para falar da relação entre os consumidores, postos e os preços. Segundo Jair, um dos grandes problemas que as empresas enfrentam é a correta determinação do preço de venda das suas mercadorias. Confira o que diz Jair:

São diversas as variáveis que podem influenciar no preço, entre elas: o custo do insumo, os impostos, os salários dos frentistas, o frete, energia elétrica, água, os serviços que os postos de combustíveis oferecem além do abastecimento (limpar para brisa, calibrar pneus, etc). Estes custos são normalmente classificados em custo fixo, variável, direto ou indireto; essas classificações são importantes para que o empresário possa gerenciar estes custos, estrategicamente tal gerenciamento pode resultar no aumento ou diminuição do preço final dos combustíveis num determinado período.

Vale ressaltar que existem três formas de gerenciar custos e o preço de venda:

  1. O preço de venda é determinado através da soma dos custos com o lucro almejado (exigindo cálculos estratégicos bastante aprofundados), válido quando a empresa tem um produto diferente;
  2. O lucro é definido através da diferença entre o preço de venda e o custo do produto (exigindo grande controle dos custos), quando a empresa tem forte concorrência; 
  3. O custo tem que se enquadrar na diferença obtida entre o preço de venda e o lucro almejado (a gestão estratégica de custos e do mercado são fundamentais), quando o mercado consumidor define o preço de venda e o empresário estabelece a margem de lucro almejada.

Por exemplo: diminuindo o preço de venda, provavelmente venderá mais combustível, fazendo com que seus estoques tenham maior giro, quanto maior o giro menor será o valor do custo fixo unitário. Essa diminuição no preço de venda poderá ser compensada pela diminuição do custo fixo unitário. Aumentando o giro, também tem efeito em outro custo que diminui, o custo com a ociosidade, pois, é melhor ter fila na bomba do que ter frentista parado aguardando cliente.

Ganhos que normalmente ocorre para ambos com a diminuição no preço de venda dos combustíveis: o empresário ganha ao ter um maior giro no estoque refletindo nos custos diversos, também ganha ao ter novos clientes, ganha ao fidelizar (manter) os atuais clientes, ganha fortalecendo a marca, ganha ao gerar confiabilidade, entre outros ganhos. Já a clientela ganha ao gastar menos para abastecer, ganha com os programas de fidelidade (descontos exclusivos para os cadastrados), ganha ao não precisar ficar sempre fazendo pesquisa de preço (apesar de ser recomendado sempre fazer a pesquisa de preço).

Perigos que podem ocorrer: para o empresário, diminuir o preço de venda e não aumentar as vendas por motivos diversos, ser alvo de desconfiança sobre a qualidade do seu produto, entre outros. Já os consumidores devem ficar atentos com a diminuição do preço pois pode trazer a vontade de consumir mais combustível do que o necessário, gerando outros gastos não previstos, tais como o maior desgaste do carro (pneus, motor, lataria, etc), impactando no seu orçamento doméstico.

Além de preço de venda, os clientes precisam estar atentos às estratégias que são utilizadas pelas empresas para conquistar o mercado, a seguir algumas dicas:

  • Verificar se o posto de combustível oferece desconto para quem abastece em horários alternativos. Exemplo: abastecer na madrugada.
  • De olho na qualidade do produto, e a confiabilidade do estabelecimento comercial.
  • Cuidado com o preço inflacionário: a empresa aumenta o preço dos produtos e depois passa a usar “falsos” descontos para atrair os compradores.
  • Analisar se o posto de combustível utiliza a estratégica do Preço Isca: é o método de atrair clientes para compras de itens de baixo preço com a intenção de que ele compare os outros com preços mais elevados. Exemplo: vender produtos com preço baixo na loja de conveniência desde que abasteça um determinado valor de combustível;
  • De olho na estratégia do preço pacote: é quando o preço de uma unidade sai mais cara do que o conjunto todo. Exemplo: se comprar o combustível e óleo para o motor de forma separada fica mais caro que comprar os dois ao mesmo tempo.