Câmara contrata empresa para criar projeto de reforma do prédio

Contratação da empresa ocorreu através de inexigibilidade de licitação, e Legislativo investirá R$ 27 mil.

Câmara contrata empresa para criar projeto de reforma do prédio

A Câmara de Vereadores de Santa Rosa está dando continuidade ao processo que visa a reforma e restauração do prédio do Poder Legislativo. Nesta semana, o presidente Marcos Migue Knorst esteve reunido com a arquiteta e urbanista Camila Preissler, para assinar a ordem de início de serviço.

O processo se deu através de uma espécie de inexigibilidade de licitação. O legislativo vai investir no processo R$ 27.176,94. O trabalho da arquiteta vai ser de até 90 dias. Depois disso, será conhecido o projeto e orçamento para as obras.

 Camila, que é mestre em patrimônio cultural, será a responsável pela elaboração de relatório técnico contendo laudos e memoriais, além do projeto visando a restauração. Ela tem prazo de 90 dias para a conclusão desta etapa.

 Após isso, o Legislativo deverá iniciar o processo licitatório para a contratação de empresa responsável pela execução da obra, que tem como objetivo reformar o prédio, garantindo a proteção de patrimônio público com a preservação de suas características históricas. Em 2018, a Câmara realizou obras de adequação do passeio público e melhorias no espaço de estacionamento e do telhado do prédio.

  Espaço histórico pertenceu ao Dr. Russo

O prédio da Câmara de Vereadores de Santa Rosa foi adquirido em 2003, com um investimento de R$ 530 mil, pagos com uma entrada de R$ 200 mil e mais 12 parcelas de R$ 27.500,00. Pertencia a Tânia Miroslaw Grigorieff, herdeira do médico Etienne Miroslaw Grigorieff, o Dr. Russo, como era conhecido.
O local havia sido a residência e consultório do médico, que chegou em Santa Rosa em 1931, aos 33 anos. Dr. Russo, que era natural da Romênia, morreu em 1969, aos 70 anos.
A compra se deu pela necessidade de mais espaço para a Câmara, que contava com 19 vereadores e que funcionava no atual prédio da Biblioteca Municipal Olavo Bilac.
Em junho de 2004, após reformas realizadas, o Legislativo passou a ocupar o local, que também foi sede da CEEE/RGE. A autorização da compra do prédio de 1.000 m², no terreno de 1.240 m², se deu através da Lei municipal Nº 3.772, de 17 de setembro de 2003. 
Havia uma cláusula de inalienabilidade na questão do prédio, o que não permitia a herdeira vende-lo. Cláusula esta deixada na herança do Dr. Russo à sua única herdeira, Tânia. Para que o negócio fosse efetivado, foi necessária a abertura de processo judicial no qual constava que, com o valor, a herdeira deveria adquirir outro bem e nele incluir a mesma cláusula.
Em 2012 a Câmara inaugurou novo anexo ao prédio, seguindo os padrões arquitetônicos do existente.

Câmara contrata empresa para criar projeto de reforma do prédio