Atendimento do SAMU apresenta falhas

Após inúmeras reclamações recebidas pela reportagem, o apresentador Zelindo Cancian decidiu testar a eficácia do serviço. O apresentador lembrou que as pessoas não devem utilizar o 192, se não for por real necessidade.

Atendimento do SAMU apresenta falhas

Após inúmeras reclamações recebidas pela reportagem da Rádio Noroeste, referente à demora do atendimento da Central de Regulação do SAMU, o apresentador Zelindo Cancian decidiu testar a eficácia do serviço. Ao vivo, e com os microfones ligados, Zelindo telefonou para o fone 192.

O apresentador foi atendido imediatamente, quando relatou que uma senhora havia desmaiado, no centro de Santa Rosa (fato simulado). A atendente questionou sobre o ponto de referência e o endereço onde o fato estava acontecendo. Na sequência a ligação foi transferida para um médico, que indicaria as medidas para serem tomadas, para depois acionar a ambulância com os profissionais. Acontece que Zelindo ficou por 38 minutos aguardando para falar com o médico, e acabou desistindo. Uma nova tentativa foi feita. Novamente o atendimento inicial foi rápido, e inclusive identificaram que havia uma ligação anterior. Mas, ao repassar a ligação ao médico, o problema voltou a acontecer. Zelindo esperou na linha por mais nove minutos e oito segundos, e ninguém atendeu a ligação.

O apresentador lembrou que as pessoas não devem utilizar o 192, se não for por real necessidade. “Apenas criamos um fato, para testar se as reclamações recebidas eram verídicas. A gravação enquanto aguardávamos, dizia que em breve seriamos atendidos e que a ligação era para ser feita em casos de urgência”, afirmou.  Zelindo reiterou que as reclamações são diárias, e na maioria das vezes o serviço é acionado, mas devido a demora, surge a necessidade de chamar o Corpo de Bombeiros, que atende ao fato imediatamente. “Levaremos o caso para conhecimento das autoridades competentes, para que se discuta uma solução para o problema”, enfatizou.

Nossa reportagem buscou contato com a assessoria do Central do SAMU, mas não teve êxito.