Fenasoja gerou mais de R$ 87 milhões em negócios

O valor pode ser ainda maior, pois segundo a Comissão Central, a prospecção de novos negócios é uma consequência natural.

Fenasoja gerou mais de  R$ 87 milhões em negócios

Mais uma vez a Fenasoja bate suas metas e encerra sua 22ª edição com números positivos. Neste ano, a Feira, que encerrou no domingo, 06, contabilizou R$ 87 milhões em negócios diretos. O valor pode ser ainda maior, pois segundo a Comissão Central, a prospecção de novos negócios é uma consequência natural.

Alexandre Maronez, presidente da Comissão Central, observou que, só no ramo da agricultura, um expositor comercializou 25 tratores. “Ficou clara a satisfação dos expositores dos mais diversos ramos”, destacou.

O público chegou a 202 mil visitantes, embora não tenham sido contabilizados os visitantes do primeiro dia do evento, quando não ocorreu a cobrança de ingresso. A bilheteria teve receita de R$ 1,4 milhão. A grande expectativa é que neste ano a Feira feche com lucro de R$ 1 milhão.

Entre os grandes destaques esteve a ExpoRural, reorganizada e setorizada, concentrando num espaço cooperativas, implementos, maquinários, insumos e grãos. As cooperativas da cidade também aproveitaram esse setor e, além de prospectar novos negócios, se aproximaram ainda mais dos associados. A Cotrirosa e a Coopermil, juntas, acumulam um número de negócios que chega a R$ 20 milhões. Conforme destacou Zélia Savoldi, assessora de Comunicação e Marketing da Cotrirosa, "este é o primeiro ano com todos os negócios reunidos em um único espaço na Feira, e já renovamos o contrato como forma de garantia da presença e visibilidade, para que possamos repetir o sucesso que obtivemos em 2018".

Na manhã de sábado, 05, o presidente e o vice para a próxima edição foram anunciados. O empresário Elias Dallalba presidirá a Feira em 2020 e o vice-presidente será o auditor trabalhista Rogério dos Santos Ferreira.

Uma informação sintetiza o sucesso da Fenasoja 2018. Dos expositores presentes, 80% anteciparam-se em garantir espaços à Fenasoja 2020. Para Elias Dallalba, “isso é uma demonstração da consolidação como vitrine de negócios”.