CREMERS fala sobre ação contra curso de medicina

O médico Eduardo Trindade concedeu entrevista, durante o Programa PodCast da Rádio Noroeste.

Questionado sobre o que motivou a ação, Eduardo afirmou que se baseia numa política desastrosa dos governos na abertura de escolas de medicina.
Questionado sobre o que motivou a ação, Eduardo afirmou que se baseia numa política desastrosa dos governos na abertura de escolas de medicina.

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul-CREMERS propõe na Justiça uma Ação Civil Pública contra a União e a UNIJUÍ. Na ação, o Conselho pede, como tutela provisória de urgência, a suspensão da autorização de criação da Faculdade de Medicina. No sábado, 19, durante o Programa PodCast da Rádio Noroeste, o presidente do conselho, o médico Eduardo Trindade concedeu entrevista, quando falou sobre o assunto.

Questionado sobre o que motivou a ação, Eduardo afirmou que se baseia numa política desastrosa dos governos na abertura de escolas de medicina. “Queremos mostrar para a população que a abertura de novas escolas médicas, não irá contribuir para a melhoria da qualidade de serviço”. Ele afirmou que a entidade, defende políticas públicas que garantam estrutura para que os médicos possam realizar um trabalho de qualidade. “Aumento de médicos só garante atendimento em massa, sem melhorar a qualidade do serviço”.

Sobre o questionamento do curso de medicina em na Unijuí o presidente do Conselho afirma que ação não é específica contra Ijuí. “Nossa gestão assumiu no dia 1º de outubro, e o curso foi aprovado no dia 24 de dezembro, e nossa ação é contra qualquer novo curso que for aberto, e o único que foi até o momento é o do município de Ijuí”, afirmou.

Ainda, salientou que no Brasil existem profissionais médicos e mais do que suficientes que não justificam a abertura de novas escolas. “Além de outra coisa, a qualidade do profissional, seja para Sus ou privado deve ser a mesma”. Questionado sobre a contribuição que o curso possa ter no desenvolvimento regional, ele salientou que “desenvolvimento regional, não se dá através de abertura de curso de medicina. Se dá através de melhorias em estruturas em hospitais, postos de saúde, etc”.

Sobre o receio da competitividade, o presidente do CREMERS diz que não existe preocupação nisso. “Os bons profissionais precisam se sobressair aos maus médicos”.

Referente especificamente a ação, o presidente diz que se o processo se basear na qualidade da saúde, e se o juiz se basear nas informações que destacamos na ação, teremos êxito. Não é uma ação isolada de Ijuí. Vamos fiscalizar os cursos em andamento e nos posicionar contra a abertura de novas universidades de medicina. Vamos tomar atitudes contra todas as faculdades novas no Rio Grande do Sul. Não é algo isolado contra a Unijuí. Queremos garantir qualidade da saúde”, encerrou.