Santa Rosa é a 69ª cidade mais desenvolvidas do Brasil

Estão também na lista, Ijuí, na 95ª colocação e Frederico Westphalen em 98ª. O estado tem 18 municípios citados: Vale Real é o mais desenvolvido, atingindo a 4ª colocação no ranking nacional e Lajeado alcança o 6º lugar.

Santa Rosa é a 69ª cidade mais desenvolvidas do Brasil

Santa Rosa é a 69ª colocada na lista das 100 cidades mais desenvolvidas do Brasil. É o que revela o Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal (IFDM) divulgado no final da tarde da quinta-feira, 28, com dados de 2016 de Emprego e Renda, Saúde e Educação de 5.471 municípios brasileiros. A pesquisa foi publicada pela Revista Exame

No pódio, só há municípios paulistas entre os três primeiros , sendo Louveira, a 70 quilômetros da capital, ocupa a primeira posição do ranking pela segunda vez consecutiva. A cidade que tem pouco mais de 40 mil habitantes conseguiu a nota máxima no IFDM 2016 e é a única no país a registrar um índice acima de 0,9.

Da região Noroeste-RS, além de Santa Rosa, estão também Ijuí, na 95ª colocação e Frederico Westphalen em 98ª. O estado tem 18 municípios citados Vale Real é o mais desenvolvido, atingindo a 4ª colocação no ranking nacional e Lajeado alcança o 6º lugar.

Santa Rosa alcança, 68º no IFDM 0.8520, no emprego e renda 0.7472, educação 0.9030, saúde 0.9058.

Elaborado desde o ano-base 2005, o IFDM se tornou referência no país, por ser o único índice anual que acompanha as três principais áreas de desenvolvimento - Emprego & Renda, Educação e Saúde -, com recorte municipal e cobertura nacional. O resultado de 2016 mostra que alto grau de desenvolvimento é para poucos: apenas 431 municípios estão com mais de 0,8 ponto - a maior parte nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

Metodologia

O Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal varia de 0 a 1: quanto mais próximo de 1, melhor é o desenvolvimento da cidade. A nota é calculada segundo a análise de três conjuntos de indicadores e tem por base indicadores oficiais do governo federal.

Em Emprego e Renda, o índice leva em conta o quanto a cidade gera de empregos formais, sua capacidade de absorver a mão de obra local, quanto de renda formal é gerada, os salários médios e a desigualdade social.

Já em Educação, a Firjan analisa o número de matrículas na educação infantil, a proporção de estudantes que abandonam o ensino fundamental, além da distorção idade-série, o número de professores com ensino superior, a média de aulas diárias e o resultado do Ideb no ensino fundamental.

O índice Saúde é calculado, por sua vez, com base no número de consultas pré-natal, óbitos por causas mal definidas, óbitos infantis por causas evitáveis e número de internações sensíveis à atenção básica (ISAB).