Professoras reivindicam que sejam chamadas para vagas efetivas

“Mais ou mais tarde vão precisar efetivar, então que façam agora”, disse.

Professoras reivindicam que sejam chamadas para vagas efetivas

Um grupo de sete professoras, representadas por uma jovem (K.P), veio até a redação do Jornal Noroeste nesta segunda-feira, 30 de setembro. Na reivindicação está que as mesmas integram da 31ª a 39ª vaga reserva do Concurso Público de 2015, ou seja, estão na fila para as nomeações efetivas.

Acontece que elas, esperam que o prefeito Alcides Vicini envie para a Câmara um projeto que prevê as suas contratações. “As contratações foram ilegais, pois não existe justificativa legal que permita contratação temporária para suprir vagas de funções gratificadas. Levando em conta que o município para cumprir um apontamento do Ministério Público precisa efetivar cerca de 15 professoras, como prometido, o prefeito deveria encaminhar um projeto já olhando para estas nove professoras da lista de espera”, afirmou a fonte, que não quis se identificar.

A fonte ainda salientou que isso está sendo reivindicado desde julho, antes do recesso do legislativo, mas enviaram o PL das temporárias ao invés do efetivo. “Não entendemos a quem o prefeito quer beneficiar, mas isso não é o correto. Mais ou mais tarde vão precisar efetivar, então que façam agora”, disse.

Ela salientou ainda que a Câmara de Vereadores já foi procurada, mas o projeto não anda.