Preservação de prédios em Santa Rosa

Dr. Carlos Alberto Benedetti destaca sua opinião sobre o assunto.

Preservação de prédios em Santa Rosa

Falar sobre algo tão importante quanto a preservação da memória de santa Rosa não é fácil. Certamente haverá críticas contundentes quanto ao posicionamento pró ou contra as ideias. É um assunto tão sério que não poderá ser decidido por alguns ou por alguém que se diz expert ou técnico no assunto.

Se tal projeto ou ideia perdurar como está sendo divulgado no Jornal Noroeste, na edição de 24 de junho, com sua provável ampliação a cidade será uma edificação urbana preservada.

Nós temos que discutir os critérios de preservação e dentro destes, ver quais imóveis se encaixam. Temos que questionar se simplesmente o velho é necessidade de tombar (preservar), ou algo que realmente vem a ser histórico. Não estou falando a favor ou contra, todos nós sabemos que quem não tem história não tem memória, mas isto não quer dizer que tombar e preservar é ter história. Se fosse assim o mundo seria um eterno museu. Não esqueçam o que Pelotas fez e o que o Pelourinho em Salvador está fazendo.

Quanto a Santa Rosa posso dizer que, se a ideia perdurar, muitas famílias ficarão à margem do desenvolvimento e da sustentabilidade emper-rando os seus negócios e o futuro das mesmas.

Não tenho procuração para defender os interesses dos atingidos, tanto público como privado, mas vou citar somente dois casos onde tenho participação societária: o Clube Cultural que fez 80 anos, fundado em 1933, ficaria totalmente inviável, pois não poderia fazer os pretensiosos investimentos que se fazem necessários para a sua viabilidade administrativa e econômica; já o Hospital Vida & Saúde (antigo Caridade), da mesma idade cronológica, nem foi citado, sabendo-se que toda a cidade antigamente instalada precisava de um hospital, de uma igreja e uma prefeitura.

Cidadãos santa-rosenses, sejamos participativos, democráticos e com atitudes proativas. Não deixemos que a omissão das pessoas seja sobrepujada pela ideia de poucos. Vamos debater o assunto para não chorarmos no futuro.

Dr. Carlos Alberto Benedetti

Médico E Empresário