Disciplina

Artigo da psicologa Fátima Braga.

Disciplina

Pensando sempre em nos como pais, em nossa primordial tarefa que é criarmos nossas crianças, e com a recente aprovação da “Lei Bernardo”, me deparei pensando, afinal o que é disciplina? Como poderíamos trabalhar com a disciplina, visto que, muitos de nós, temos problemas com a mesma. Ou, porque somos indisciplinados, e sendo assim não sabemos usar a disciplina, ou porque vivenciamos excessos de disciplina e não desejamos usa-la nas pessoas que amamos.

Para muitos de nossos pais, disciplinar significava castigar, o qual poderia ser tanto físico (surra, puxão de orelhas, etc), quanto psicológico (através da palavra). Disciplina, segundo o dicionário quer dizer: dar uma instrução, uma ordem e mantê-la sobre controle. Porem, o significado original da palavra disciplina, vem de discípulo, seguidor, alguém que aprende com, de alguém que amamos e acreditamos, e por isso o seguimos. Seria então, por esta razão que, discípulos eram chamados os seguidores de Cristo.

Seriam nossos pais nossos discípulos? Quanto menor for a criança, mais ela admira seus pais, para ela, seus pais são os modelos de perfeição. Estas figuras parentais são seus ídolos. Pensando bem, as crianças não têm alternativas, nascem em um lar onde terão os primeiros cuidados das pessoas ( pais ou cuidadores) que irão atender suas necessidades primordiais e principalmente serão seus protetores. As crianças precisam acreditar nas pessoas que lhes dão proteção. Todavia, à medida que, a criança vai crescendo e ampliando suas relações, ela vai percebendo que seus pais ou cuidadores não são tão perfeitos como ela imaginava. A criança observa que muitas vezes existem falhas na comunicação, pois, os pais ou cuidadores dizem uma coisa, porem, na realidade fazem outra. Muitas crianças continuam discípulos mesmo assim, pois mantém uma divida impagável com seus pais; enquanto outras se revoltam e saem à procura de novos discípulos.

Penso que, para que possamos usar a disciplina, precisamos antes de qualquer coisa sermos nós disciplinados e controlados. Tarefa nada fácil. Contudo, como poderíamos passar uma imagem clara de nossos comportamentos e atitudes, se nem mesmo somos nós disciplinados e controlados? E muitas vezes nem sabemos quem somos.

Disciplina sempre foi algo penoso, basta lembrarmos-nos da nossa infância e adolescência e a relação que tivemos nesta época com nossos pais. Como éramos o que pensávamos, quais eram nossas vontades?

 

Fátima R. Braga

Psicóloga - CRP 22165