Chuva veio num bom momento

As altas temperaturas dos últimos dias ameaçavam as plantas de estresse hídrico.

Na avaliação do engenheiro agrícola Jairton Dezordi, responsável pela área técnica da Cotrirosa, a região ainda não vivia um quadro de estiagem, mas a falta de chuva preocupava.
Na avaliação do engenheiro agrícola Jairton Dezordi, responsável pela área técnica da Cotrirosa, a região ainda não vivia um quadro de estiagem, mas a falta de chuva preocupava.

Choveu especialmente no domingo e na segunda-feira na microrregião Fronteira Noroeste, repondo umidade ao solo que já estava faltando para as culturas de verão. As altas temperaturas dos últimos dias ameaçavam as plantas de estresse hídrico.

Na avaliação do engenheiro agrícola Jairton Dezordi, responsável pela área técnica da Cotrirosa, a região ainda não vivia um quadro de estiagem, mas a falta de chuva preocupava. “Ocorreram chuvas com boa frequência em novembro e dezembro, chovendo um pouco mais aqui e menos ali. Podemos garantir que o comportamento do clima por enquanto não comprometeu as lavouras”, detalhou.

Os números mostram a desuniformidade das precipitações: Três Fazendas, interior de Tuparendi, choveu 115 mm; Matinho Queimado, no mesmo município, 150 mm; Km-3, interior de Santa Rosa, 52 mm; Candeia Baixa, 90 mm; Cândido Godói, próximo da divisa com Santa Rosa, 80 mm; cidade de Santo Cristo, 13 mm. O município de Tuparendi foi o melhor contemplado.