Qual será o discurso de Anderson no PP?

OPINIÃO:

O PP de Santa Rosa anunciou nesta semana o nome do empresário Anderson Mantei como pré-candidato a prefeito de Santa Rosa. Atualmente Anderson é presidente da Fundação Municipal da Saúde, e aos poucos busca protagonismo, para no futuro tentar conquistar as urnas em 2020.

Claro, Anderson está no governo, tem uma pasta nas mãos, a qual lida diretamente com a saúde da comunidade de classe, E, D e C, o maior número de eleitores. Mas o que Anderson tem a oferecer como prefeito? O que ele venderá como novidade para ser eleito? Qual será o discurso do PP com Anderson ao seu lado?

No modismo que vivemos, o brasileiro tem como favoritismo a novidade. O presidente Jair Bolsonaro, por exemplo, venceu a eleição levando isso muito em conta. Bolsonaro não era novidade, mas se apresentava como tal. Além de destacar que era honesto. Tudo isso contribuiu para sua eleição.

Mas, levando em conta a política nacional, como Anderson Mantei se posicionará? Anderson não pode vender 100% a imagem de novidade na política, pois integra um Governo. Outro fator que poderá pesar de forma negativa é o fato do PP completar em 2020, oito anos à frente da Prefeitura. Se o desejo de mudança seguir, fico curioso para ver como que os eleitores reagirão a uma novidade dentro de um partido que está no poder por há anos. Como Anderson justificará mudança, se os mesmos que o apoiam, são os que estão em cargos de secretaria e diretoria atualmente? Não seria mais fácil Anderson concorrer pelo MDB?

 

MDB não entrará no Governo Vicini

Em uma reunião realizada na tarde da terça-feira, 17, lideranças do MDB de Santa Rosa informaram ao prefeito Alcides Vicini que os emedebistas não farão parte do governo. Segundo uma fonte ligada ao partido, ficou decidido que eles farão oposição ao governo, mas de forma responsável.

O fato do MDB não entrar no governo Vicini, não descarta a possibilidade de uma coligação em 2020. “O intenção do MDB, é iniciarmos um governo desde o seu início e não completar  um em andamento. Vicini manteve o convite e as secretarias a disposição do MDB”, afirmou a fonte.

MDB negocia a permanência de Fonseca na 14ª CRS

MDB negocia a permanência de Fonseca na 14ª CRS

Uma fonte ligada ao MDB confirmou na manhã desta terça-feira, 2 de abril, que dentro do partido existe uma forte articulação junto ao Governo Eduardo Leite para manter Valdemar Fonseca à frente da 14ª Coordenadoria Regional de Saúde. Fonseca está na vaga desde o Governo Sartori.

Acontece que o Diário Oficial do Estado, publicou na manhã da sexta-feira, 29 de março, a exoneração de Fonseca do cargo. Valdemar se despediu da pasta, dos colegas e no início da noite, por volta das 20h, o Estado publicou a retificação, mantendo ele a frente da Coordenadoria.

Na verdade, Fonseca deveria permanecer no cargo até o final de março. O próprio Governador afirmou que nos primeiros três meses não exoneraria nenhum coordenador. Mas o período passou.

Outros nomes do MDB, como Adriana Thomas Leal, coordenadora do SINE, Jauro Nascimento- Corsan, Paulo Strasser- Casa Cívil, permanecem na pasta. A expectativa é que boa parte deles (do MDB) continuem na gestão de Leite.

Atualmente são 22 cargos, os salários variam de R$ 4 mil a R$ 12mil em Santa Rosa. Dois cargos, um em Três de Maio e outro em Santo Ângelo também estão na lista. As vagas deveriam ser preenchidas por integrantes do PSDB. Destas citadas, apenas Beatriz Cancian - indicação de Zilá Breitenbach - assumiu. Ela esta à frente da 17ª Coordenadoria Regional de Educação.

1/22Página seguinte →66 registros