MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL

Considera-se Microempreendedor Individual (MEI) toda pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário. É preciso também ter um faturamento máximo anual de até R$ 81.000,00 e não participar de outras empresas nem como sócio e nem como titular. É dado ao MEI a possibilidade de ter um empregado contratado que receba salário mínimo ou o piso da categoria. Com a lei complementar 128/2008, o Microempreendedor Individual sabe que suas regras são estáveis e que para serem alteradas, necessitam de outra lei complementar a ser votada também pelo Congresso Nacional e sancionada pela atual Presidenta da Republica. Isto traz uma grande segurança Jurídica fazendo com que as regras atuais não sejam alteradas tão facilmente. A formalização está amparada em Lei Complementar que impede alterações por Medida Provisória e exige quórum qualificado no Congresso Nacional.

Além disso, a formalidade traz vários benefícios ao Microempreendedor Individual entre elas: 

* Cobertura Previdenciária para o Empreendedor e sua família;
* Contratação de um funcionário com menor custo;
* Isenção de taxas para o registro da empresa;
* Ausência da burocracia;
* Acesso a serviços bancários, inclusive créditos;
* Compra e vendas em conjunto;
* Redução de carga Tributária;
* Controle muito simplificados;
* Emissão de alvará pela internet;
* Cidadania;
* Benefícios Governamentais;
* Assessoria gratuita;
* Possibilidade de crescimento como empreendedor.

É de grande valia conhecer em detalhe as regras de negócios do seu município junto a prefeitura, pois cada cidade tem uma regulamentação diferente. Informe-se e regularize a situação do seu empreendimento para garantir segurança e sucesso na caminhada. Empreender não é fácil, mas estando informado e com tudo em dia favorece muito o desenvolvimento do seu negócio e da cidade como um todo. Para mais informações acesse o site da Prefeitura e na aba Serviços entre em Sala do Empreendedor. 

DECOLA

Constantemente nos deparamos pensando no futuro. No futuro de nossa sociedade, no futuro de nossa família, no futuro de nosso país. É um sentimento comum e compartilhado que, não importa o quão bom tenha sido conosco ou o quão bom está sendo, queremos sempre melhorar. É do ser humano querer a melhoria, querer a evolução, buscar o crescimento.

Também é positivo nos preocuparmos com o futuro, principalmente com o que deixaremos para as novas gerações e como eles estão sendo preparados para este futuro. As transformações sociais estão cada vez mais rápidas, as iterações, os mercados, os profissionais, as demandas e as necessidades estão em constante mudança, um processo evolutivo que nos obriga a evoluir também, a aprender e, colocar em prática tudo que aprendemos. 

Foi com este pensamento que nasceu o Decola. Preocupados com o futuro mas, principalmente, com o objetivo de levar até os jovens aquilo que há de mais novo no que talvez seja o melhor caminho para esta evolução, o empreendedorismo. O Decola foi formatado para levar até os jovens, ainda durante o Ensino Médio, metodologias, práticas, ferramentas, conceitos e experiências empreendedoras, tudo voltado para este atual cenário e projetando o mercado futuro. Seu principal objetivo é despertar nos jovens a curiosidade, o interesse e o envolvimento com a cultura empreendedora.

O Decola é fruto de mais de dois anos de trabalho e a ACISAP está proporcionando este programa inédito para as escolas de Santa Rosa.

Acontecerá durante o mês de outubro e seu encerramento será no sábado, dia 27 de outubro, com uma competição, uma espécie de gincana empreendedora entre as escolas participantes.

Os alunos participantes receberão um livro para o acompanhamento num total de oito módulos, em dezesseis horas aula. Esses módulos serão ministrados por profissionais voluntários que já atuam no mercado de trabalho. O projeto não terá custos para os alunos nem para as escolas pois é um projeto totalmente voluntário, desde sua concepção e criação até a sua execução.

TRANSIÇÃO GERACIONAL

PARA COMEÇAR:

  • Geração Z: nascidos nos anos 2000
  • Geração Y (Millennials): nascidos entre 1980 a 2000
  • Geração X: nascidos de 1960 a 1980
  • Baby Boomers: nascidos de 1942 a 1960
  • Geração Silenciosa: nascidos entre 1925 e 1942.

O que isso tudo revela? Que raríssimos da Geração Silenciosa permanecem no mercado, que membros dos Baby Boomers e da Geração X perderam o posto de maioria para os Millennials e que, com 17 anos ou menos, a Geração Z começa a marcar presença nas empresas.

Cada um desses grupos possui suas características próprias, o que acaba refletindo no ambiente organizacional. A forma como planejam a carreira é diferente. A maneira como encontram soluções para suas tarefas também. Por tudo isso, é fundamental refletir sobre a transição geracional e construir sua estratégia. 

Em aspectos práticos, a transição geracional impacta fatalmente a rotina de uma empresa. É importante realizar uma análise neutra. Ou seja, os desafios existem, mas não necessariamente acarretam em prejuízos. Podem, inclusive, ser uma excelente oportunidade para crescer a partir deles. 

Pessoas de diferentes faixas etárias podem trabalhar muito bem juntas. Não é por que pensam e solucionam suas demandas de formas diferentes que não pode haver harmonia. Onde um entra com a experiência, o outro complementa com a vontade.

Para evitar conflitos, e gerenciá-los adequadamente, é importante valorizar aquilo que cada colaborador tem de melhor a dar pela empresa. Também deve permitir a eles acessar estratégias que estimulem o crescimento profissional. Ninguém está ali por acaso. Cada peça tem suas limitações, mas ainda assim não deixa de ser fundamental para fortalecer o conjunto.

Os benefícios da transição geracional são grandes incentivos, e entre essas vantagens que podem inspirar a sua empresa, estão:

  • Pluralidade de ideias, facilitando o surgimento de contribuições de valor; 
  • Mistura da experiência com a inovação, aperfeiçoando cada vez mais aquilo que já vem dando certo na empresa;
  • Mais eficiência para lidar com as demandas do mercado, já que são combinados o know-how das gerações antigas com a sede de aprender, inovar e aperfeiçoar dos profissionais atuais.

Se você entende a importância desse tópico para manter a harmonia e os bons resultados corporativos, considere implementá-las na sua empresa!